Translate

quarta-feira, 16 de abril de 2014

IBM Mainframe – 50 anos de Liderança Tecnológica e Transformação

Por ocasião das comemorações dos 50 anos do Mainframe, tive oportunidade de escrever artigo que foi publicado pela IBM Brasil e pelo TLC - Technical  Leadership Council , organização técnica dos profissionais da IBM.    Esse artigo também foi publicado em outros sites oficiais da IBM.

Abaixo estou reeditando esse artigo e também segue link de onde pode-se fazer download do artigo no formato oficial da IBM.




                                                   
   
Com o fim da II Guerra Mundial a computação comercial ganhou grande impulso, levando varias empresas de tecnologia na Europa e nos EUA a investirem nesse mercado. A IBM, que se lançou nessa jornada no início dos anos 50, chegou aos anos 60 com pelo menos três famílias de computadores de grande porte em produção, firmando-se como um dos grandes fornecedores do mercado.


Esse aparente sucesso não escondia os desafios que a IBM enfrentava internamente. As várias linhas de computadores tinham arquitetura e tecnologias distintas, linhas de produção e gestão independentes e até incompatibilidade entre os modelos da mesma família e seus periféricos. Administrar essas linhas tornava a produção mais cara e abria espaço para a concorrência toda vez que um cliente tinha necessidade de upgrade.

Foi a partir desse cenário que Thomas Watson Jr., na época IBM Chairman of the Board, decidiu lançar a corporação no projeto de um novo computador que tivesse como características, a compatibilidade total entre os modelos, periféricos e aplicativos, e que buscasse suprir as necessidades computacionais dos clientes nas várias indústrias.
Foi com essa missão que o executivo Bob Evans e seu time de arquitetos, Fred Brooks, Gene Amdahl e Gerrit Blaauw, desenharam o computador System/360 (S/360), um sistema para todos os propósitos, por isso o nome S/360.

Com orçamento de US$ 5B e mais de dois anos de trabalho, o S/360 deu origem à família de mainframes IBM, os computadores de grande porte de maior sucesso no mercado, que se tornou o benchmark da indústria de computação comercial.

O anúncio oficial foi feito por Thomas Watson Jr. em 7 de Abril de 1964, na cidade de Poughkeepsie, NY, EUA.

O Mainframe, hoje denominado System z, transformou a empresa. Sete novas fábricas foram inauguradas para atender à demanda, outras linhas de computadores foram fechadas paulatinamente, e o número de funcionários cresceu exponencialmente. Toda a corporação girava em torno dessa nova família de computadores.

A indústria também foi transformada. A aviação civil avançou com a implementação do sistema de reservas SABRE, os bancos entraram no mundo online e o homem pisou na Lua. O S/360 esteve presente em tudo isso, sendo considerado pelo escritor americano Jim Collins, um dos três produtos de maior impacto nos negócios, junto com os primeiros carros da Ford e os jatos da Boeing. A engrenagem sonhada por Thomas Watson Jr. girou forte e a IBM começou a dominar o mercado. A renda da corporação cresceu ano após ano, diferentemente dos resultados da concorrência.

Em meados dos anos 70, a IBM se tornou a maior empresa de computadores do mundo figurando entre as TOP 10 empresas do mundo de acordo com a Fortune Magazine.
No Brasil dos anos 70 e 80, devido à política governamental de informática que restringia a importação de computadores, os Mainframes IBM tiveram uma penetração muito expressiva, impulsionados pela sua fábrica em Sumaré, SP.

Nesse período, a IBM Brasil teve um crescimento acelerado, ampliou a base de clientes, aumentou o faturamento e abriu filiais próprias nas principais capitais do país, deixando um legado de estabilidade para os difíceis anos 90.

Cinquenta anos depois, verificamos que a robustez da arquitetura original aliada à sua liderança tecnológica, permitiram que o IBM Mainframe se mantivesse vivo no mercado e relevante para os seus clientes e para toda a corporação até os dias de hoje.

Atualmente, o Brasil ocupa o terceiro lugar no cenário mundial do mercado de mainframes, o que representa um parte significativa do faturamento da IBM Brasil.
Nenhum outro produto de tecnologia se manteve por tanto tempo no mercado, e nenhum outro produto da IBM contribuiu tanto para o sucesso da corporação.
Sem medo de errar, pode-se dizer que a IBM fez o Mainframe e o Mainframe fez a IBM.

Daniel Raisch é arquiteto Senior Certified em Software Group na IBM, membro do Conselho Técnico mundial de System z e do TLC-BR desde
2011. O Mini Paper Series é uma publicação quinzenal do TLC-BR e para assinar e receber eletronicamente as futuras edições, envie um email
para tlcbr@br.ibm.com.

IBM Mainframe – 50 anos de Liderança Tecnológica e Transformação
Daniel Raisch
Mini Paper Series Ano 9
Abril, 2014 – No 206

Para saber mais
http://ibmmainframe50anos.blogspot.com
Livro Father, Son & Co. - Thomas Watson Jr.
Livro Memories That Shaped an Industry - Emerson Pugh